uma_tarde_em_manhattan
Uma tarde em Manhattan
25/06/2014
Brighton
Brighton
30/08/2014

Zaragoza

IMG_8238

Em plena Copa do Mundo de 2014, o turismo mundial gira em torno do Brasil. Mas quem trabalha na aviação não pode se dar ao luxo de ficar no país, tem que continuar voando pra fora. Dia 04 de julho de 2014 fiz um voo para Madri e durante minha estadia na Espanha cinco pessoas diferentes me perguntaram o que uma brasileira estava fazendo na Espanha em tempos de Copa do Mundo no Brasil!Já que eu estava na Espanha em pleno verão não poderia desperdiçar a oportunidade de conhecer mais uma cidade repleta de arte e história: Zaragoza.

Situada na metade do caminho entre Madri e Barcelona, às margens do rio Ebro, a cidade foi fundada pelos romanos no ano 25 aC e chamava-se Cesaraugusta, em homenagem ao imperador Cesar Augusto. Ao longo dos anos, judeus, muçulmanos e cristãos continuaram enriquecendo a cidade com suas culturas, criando a atual cidade de Zaragoza. Hoje capital de Aragão e quinta maior cidade espanhola.

O trem de alta velocidade espanhol (AVE) faz a viagem de Madri a Zaragoza em apenas 1h20min, partindo da estação Atocha. Eu tinha 30h para ficar em Madri e não pensei duas vezes: arrumei minha mochila, reservei um hotelzinho em Zaragoza e fui pra passar a noite, mesmo sem companhia de nenhuma.

Só a viagem de trem já valeu o passeio. O trem bala vai a 300 km/h!!! Incrível!

Trens AVE na estação Atocha

Trens AVE na estação Atocha

 

zaragoza02

Cheguei lá às 20:30 e o sol ainda estava alto. O ônibus 34 parte da estação Delizias e vai até o centro histórico da cidade. Deixei a mochila no Hotel Avenida (apenas 36 euros a diária!) e fui aproveitar o entardecer.

Ruínas das muralhas romanas com a Torre de la Zuda ao fundo

Ruínas das muralhas romanas com a Torre de la Zuda ao fundo

Comecei a visita pelas ruínas das muralhas romanas e o Torre de la Zuda, bem nas margens do rio Ebro. Em cima da ponte de Santiago fiquei hipnotizada com a bela vista da cidade de um lado e o pôr do sol do outro lado da ponte…

Com uma temperatura de 31 graus, às 22h que eu nem podia chamar de noite, caminhei pelas margens do Ebro até a Ponte de Pedra, onde pude apreciar o espetáculo do pôr-do-sol com a magnifica Basílica Nossa Senhora do Pilar ao fundo.

zaragoza04

 

zaragoza05

Em seguida fui conhecer a Plaza del Pilar, principal praça da cidade composta pela Basílica, a Lonja (centro de exposições), o palácio episcopal e a catedral de Zaragoza chamada de La Seo. Tudo já estava fechado para visitações e só me restou admirar a beleza daquela praça e comer os tradicionais tapas (tipo petisco) antes de voltar ao hotel para dormir…

Plaza del Pilar

Plaza del Pilar

Os palitos mostram o número de tapas que havia comido para pagar depois (apenas 1,40 cada)

Os palitos mostram o número de tapas que havia comido para pagar depois (apenas 1,40 cada)

No dia seguinte, tive que escolher os principais pontos turísticos para visitar, uma vez que meu trem de volta para Madri era às 15:43 e não teria tempo de ver tudo. Portanto, fui até um posto de informações turísticas e com um mapa a moça me indicou as principais atrações da cidade, que compartilho com vocês nesse post:
Basílica Nossa Senhora do Pilar: cartão postal da cidade em todo o mundo, é uma joia da arte barroca. Construída entre os séculos XVII e XVIII , sua construção só foi finalizada em 1961 quando a última das onze cúpulas decoradas foi construída. O templo é visitado por milhões de pessoas de todo o mundo que fazem promessas, peregrinações e oferendas à Virgen del Pilar.

O interior da Basílica é repleto de obras de arte: dezenas de capelas nas laterais do altar maior. Os afrescos das cúpulas foram feitos por Goya em 1781.

A aprtir das 10h é possível pegar um elevador até uma das torres da Basílica e a vista é realmente de tirar o fôlego!

zaragoza08

 

zaragoza09

 

zaragoza10

Catedral de San Salvador (La Seo) e Museu de Tapeçaria: construída no século XII sobre os restos de civilizações anteriores, a catedral é composta por diversos estilos arquitetônicos. Tombada pela Unesco como Patrimônio da Humanidade, possui 18 capelas ao redor do altar maior que me deixaram boquiaberta com a riqueza de detalhes e mistura de estilos barroco, renascentista, gótico. Infelizmente não é possível tirar fotos no seu interior.Dentro da La Seo funciona o impressionante museu de Tapeçaria. São 63 peças que formam uma das coleções mais importantes do mundo, por antiguidade, rareza e número. Cada tapete mostra a ilustração de uma história de distintos séries e temas: religioso/bíblico, moral/filosófico, histórico, mitológico, astrológico. Eu gostei muito dessa exposição e fiquei “viajando” no conteúdo explícito e implícito em cada tapete.



zaragoza11

Plaza del Pilar com La Seo ao fundo

Plaza del Pilar com La Seo ao fundo

Ruínas do Teatro Romano: construído no século I, é o monumento mais bem conservado da época romana. Durante mais de duzentos anos foi lugar de reuniões, lazer e vida social, exercendo um importante papel de transmissor dos valores culturais, políticos e religiosos do Império romano. Nas etapas históricas seguintes, onde era o teatro foi construída a medina muçulmana, depois o assentamento da população judia e em seguida o crescimento econômico e social de Zaragoza no período renascentista. Aos domingos, a entrada é gratuita.

zaragoza13

 

zaragoza14

Calle Alfonso: Uma das ruas mais importantes e bonitas do centro histórico da cidade. Repleta de lojas e ambulantes, ela termina na Plaza del Pilar.

zaragoza15

Palacio de la Alfajeria: enorme palácio mouro construído no ano de 864 aproximadamente. ao longo dos séculos foi residência dos Reis Taifas de Zaragoza, dos reis católicos durante suas estadias na cidade, quartel militar e atualmente funciona como sede das Cortes de Aragão. Aos Domingos, a entrada é gratuita.

 

zaragoza16

 

Arcos do Pátio Santa Isabel

Arcos do Pátio Santa Isabel

 

zaragoza18

 

Teto do Salão do Trono

Teto do Salão do Trono

Plaza de Toros de la Misericordia

Plaza de Toros de la Misericordia

Curiosidades do Primeiro Mundo que não vemos no Brasil:Almocei rapidamente em frente a Plaza del Toros, local das touradas na cidade. Passei no Hotel Avenida para pegar a mochila e novamente o ônibus 34 me levou até a estação de trem Delizias.

  • Além dos trens de alta velocidade que impressionam, o acesso até eles é quase igual aos aeroportos: raio x, cartão de embarque, assento e vagão marcados.
  • Os pontos de ônibus possuem um painel eletrônico que mostra quanto tempo falta para seu ônibus chegar no ponto.
  • Dentro do ônibus há também um painel eletrônico e um alto-falante indicando a próxima parada.
  • No restaurante de Tapas, foi possível servir a vontade e deixar os palitinhos em um prato; ao final, o garçom conta o número de palitos deixado ali para somar sua conta. Todos confiam em você.
  • Pôr-do-sol às 22h é comum no verão do Hemisfério Norte e todos ficam muito felizes com dias tão longos. Como era um sábado, presenciei festas, feiras, casamentos e muitos turistas na cidade.
  • A Espanha leva muito a sério a siesta e depois das 13h ou 14h TUDO fecha e não é mais possível visitar nenhum ponto turístico até 17h!!!
Trem em partida para Barcelona na estação Zaragoza - Delizias

Trem em partida para Barcelona na estação Zaragoza – Delizias

Gastos totais do passeio:
Trem AVE: 90 euros ida e volta
Ônibus estação trem/centro histórico: 2,70 euros ida e volta
Hotel Avenida: 36 euros
Elevador até a torre da Basílica: 3 euros
Entrada Catedral La Seo: 4 euros
Total: 136 euros que foram praticamente um investimento, uma vez que eu não tive gasto com passagem aérea de São Paulo a Madri, ao contrário, fui paga para fazer esse voo!

Foi um passeio um incrível que indico a todos que tiverem a oportunidade. Vale a pena um pit-stop para quem está indo de Madri para Barcelona ou vice-versa.
Só para constar no post nesse momento histórico: parabéns aos alemães pela vitória na Copa do Mundo e pelo exemplo de cidadania com as benfeitorias no sul da Bahia.