DSCN1497
Steineu an der Strasse
02/06/2015
20150707_113216
Daytona Beach
12/07/2015

Serra Gaúcha – Cambará

20150619_102451

Há pouco começou o inverno no Brasil, mas, em um país tropical como o nosso, só encontramos baixas temperaturas na Região Sul e Sudeste. Turismo com baixas temperaturas combina com montanhas, chalés, lareiras e casacos. Um destino para quem gosta de tudo isso é a Serra Gaúcha, no interior do Rio Grande do Sul.

As cidades de Gramado e Canela são as mais conhecidas e visitadas da Serra Gaúcha. A infra-estrutura turística dessas duas cidades é excelente e atrai público de todas as idades e regiões. Mas esse post é sobre uma outra parte da Serra Gaúcha, um pouco menos visitada, e um pouco mais aventureira: os cânions de Cambará.

Cambará fica na divisa dos estados Rio Grande do Sul e Santa Catarina, a 230 km de Porto Alegre e 330 km de Florianópolis. Vale uma Viagem Rápida partindo de qualquer uma dessas capitais ou até de Gramado mesmo
(apenas 100 km).

 Nesse passeio, a equipe Viagens Rápidas foi muito especial: meu marido e meus pais me acompanharam em um voo até Porto Alegre e em um dia visitamos os fantásticos Cânions Fortaleza e Itambezinho.

Chegamos a noite em Cambará, com o carro alugado no aeroporto de Porto Alegre e dormimos na aconchegante Pousada Oliveira, que oferece chalés com lareira e aquele delicioso café da manhã colonial, típico da região. A temperatura próxima dos cinco graus nos assustou um pouco, mas a sorte é o lençol térmico da pousada, que não conhecíamos mas gostamos muito.

Saímos cedo em direção ao primeiro destino: Cânion Fortaleza. O caminho é muito fácil, só seguir a rua principal da cidade por 23 km que chega ao Parque Nacional da Serra Geral. Existe uma portaria onde um funcionário anota a placa do carro, mas não existe nenhuma infra-estrutura como banheiros ou lanchonetes, e também não precisa pagar nada. Há apenas placas indicativas das principais trilhas: trilha do mirante,  trilha da borda do cânion, trilha da Pedra do Segredo e a trilha da Cachoeira do Tigre Preto.

A mais fácil e curta é a Trilha da borda do cânion, apenas a alguns metros de onde se estacionam os carros. a paisagem é tão impressionante que não existem palavras pra descrever a sensação de liberdade e admiração que sentimos lá.

20150619_114628

Borda do cânion

20150619_114500

Esse é o ponto mais fácil de chegar, pertinho de onde se estaciona os carros

 

IMG_1923

IMG_1956

Ficamos pequenos diante da imensidão do lugar

20150619_114346

A trilha do mirante é incrível. Com um percurso de 3 km (ida e volta) é possível ver 95% do Cânion Fortaleza. Apesar da distância ser curta, a subida até o topo demora mais de 1 h e 30 min pois precisamos parar toda hora para fotos e contemplação do lugar!

20150619_113536

Subida até o mirante

O melhor é sentar nas pedras e curtir a vista panorâmica dos paredões, das cachoeiras que descem os paredões, dos prédios altos da cidade de Torres, de uma parte do litoral gaúcho e uma parte da planície catarinense.

20150619_104000

Minha mãe, meu pai, eu e o Paulo bem na “beiradinha” do mirante – ao fundo o litoral gaúcho

Nessa parte vou substituir as palavras por fotos, pois o lugar é realmente indescritível.

20150619_103854

IMG_1906

IMG_1910

Na parte da tarde voltamos a cidade de Cambará para seguir em direção ao Cânion Itambezinho. São 18km a partir da cidade (muitas placas indicativas) e chega-se ao Parque Nacional de Aparados da Serra. Lá precisa pagar a entrada (por pessoa e por carro) mas existe uma boa infra-estrutura com banheiros, bebedouros, maquetes e guias explicando as trilhas: Trilha do Vértice (1,5 km de extensão) e Trilha do cotovelo (6 km de extensão).

Começamos pela Trilha do Cotovelo, que só pode ser iniciada até às 16h. A maior parte do trajeto é percorrida por uma antiga estrada do parque e o restante do caminho é pela borda do Cânion. Ao longo do percurso há mirantes, placas indicativas e até banheiro. As paisagens são realmente de tirar o fôlego: os paredões do Itambezinho, as cachoeiras e toda a vegetação.

20150619_141046

Trilha do cotovelo

20150619_151613

Trecho da Trilha do Cotovelo que é percorrido na borda do cânion

20150619_145711

Depois fizemos a Trilha do Vértice, com mirantes próprios para ver de perto as belíssimas Cascata das Andorinhas e Cascata Véu da Noiva, com queda de 500 metros.

IMG_2001

Primeiro mirante da Trilha do Vértice

 

IMG_2012

Exaustos de tanta caminhada em um só dia e maravilhados com tanta beleza natural, pegamos nosso caminho de volta a Cambará enquanto o sol se punha em meio às montanhas.

No dia seguinte voltamos a Porto Alegre pela Rota do Sol, passando pela RS486. É um caminho um pouco mais longo mas a paisagem vale a pena, há mirantes incríveis.

20150620_093108

Mirante na rodovia – vale a pena descer a serra por essa estrada para curtir o visual

Gastos do passeio:

Chalé com lareira na Pousada Oliveira: 150 reais por casal

Aluguel de carro: 80 reais a diária – 20 reais por pessoa

Combustível: 160 reais

Entrada no parque: 7 reais por pessoa + 10 reais por automóvel

Total: R$145 reais por pessoa